segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Peça (Jogos de Palavras com a Liturgia Fetichista)

Não fique calado,
Nem precisa implorar,
Peça!

Ande!
O  que está esperando, peça?
Peça o  que você quiser,
Pedinte,
Pidão,
Rasteja o  sem noção,
Louco  em desvario,
Febril  em seus desejos.

Quer  pedir, peça?
Peça o  que  quiser, já falei.
Solte, se expresse,
No seu  estado febril não enxerga nada  que  não seja o  seu  próprio umbigo.

Hahahahahaha
Peça!
Não implore, peça.

Pedinte, entenda, pode  pedir  o  que  quiser nessa vida,
Até  mesmo  para  que venha a cura da sua submissão,
Mas só não peça para  realizar seus sonhos, fetiches e delírios, pois não está em você esse poder de decisão.

Hahahahahahah
( risos sádicos)

Sua peça!

(Dedico a um parceiro  de caminhada experiente que  me  explicou  sobre  o sentido de "peça").

Sem assunto

Fim  de  domingo,
Fim de férias,
E  uma sensação de ressaca começa a surgir.
Sinto um aperto  no  peito.
Uma droga  de angústia.
Como é  difícil  verbalizar  o  que  sente!
Parto.
Sim, parturiando palavras.

Algo vem à  cabeça na confusão
Surge o desejo de dividir 
Preciso compartilhar  o  que vem na  mente sem muita exatidão, 
Eis que  digo:

Você não  precisa exatamente me entender,
Só te peço que  se pergunte uma única  vez:  aonde estão suas brechas?
A resposta guarde pra  você, não  fale!
Onde está o seu desejo?
Sei  que há muitos convites por aí,
Sempre houve alguém  pra matar, roubar e destruir.

Convites fascinantes, encantadores..
Seu  olho  brilha, não é?
Não fique entorpecido  por  onde caminha.
Os barulhos  que  você ouve fazem justamente o seu  papel
Distrair você.
Cuidado!

Pois a ilusão, amigo, não mora ao lado,
Mora dentro de você.

(Assim como quem não quer  nada, sorrateiramente, essa mensagem se desmanchará, pois já terá cumprido seu papel, provocar  você....
....obrigada pelo atenção...)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ao meu schiavo: A submissão que me cativou

Vontade de ter você aos meus pés de novo,
me chamando de minha Senhora,
me pedindo permissão para chegar perto de mim...
saudades de ti, schiavo
das 24 horas de servidão.

Ver você se ajoelhar sem receio nenhum,
totalmente à vontade e entregue,
entregue aos meus desejos insanos para alguns,
mas para nós é prazer...

Eu no sofá e você a me servir um Martini gelado de joelho e de forma reverente como deve ser,
Prontamente, meu querido schiavo prepara nossa refeição,
buscando saber os meus gostos e me agradar ao máximo.

Massagens e beijos e meus pés,
Como é delicioso ouvir você a me chamar:
"Minha Senhora, Bouno Giorno, Padrona"

Meu querido schiavo,
sabe bem que há um querer bruto em mim,
que chicoteio e sinto prazer em ver sua pele ficar rubra,
que derramo lentamente em seu corpo pingos de velas e sinto prazer em ouvir alguns seus ais,
que sinto prazer em te privar por alguns instantes de alguns sentidos,
oh, silver tape bendito!
delicia de algemas...
Apesar deste prazer bruto,
sabe que gosto de você, o quanto me importo e me preocupo contigo.


Desejo mais outras 24 horas com você me servindo,
Querido, o que posso dizer?
Simplesmente sua submissão me cativou.
Desejo que se descubra ainda mais submisso aos meus desejos,
Desejo que se entregue a mim...
que fique aos meus pés e
Enquanto for assim, a coleira que porta continuará sendo sua...

Não se esqueça de quem sou e do que te exijo:
Honre a coleira que está em você.