domingo, 19 de agosto de 2012

Entorpecimento e Fome

O barulho ensurdecedor na rua,
passadas apressadas na faixa de trânsito,
pessoas falando e gesticulando em seus celulares touch,
que tiram fotos, fazem vídeos, podem até ajudar a matar a saudade, mas não substituem em nada a presença da pessoa querida.

Vejo computadores conectados às pessoas,
sim, vislumbro o caminho da dependência.

Tudo é "now", tudo é "para ontem",
tudo é para ser imediato.
é "fast food",
but "why can I not feel good?!"

E seguimos neste ritmo acelerado,
não contemplamos nada,
Você consegue me escutar?
Não, eu sei que vc me ouve, mas está disposto a me escutar?

Vejo um processo desertificação dos sentimentos,
será que isso é provocado pelo medo de sofrer?
será que fruto do imediatismo e do olhar utilitário?
será tudo isso junto?

O que você acha?

Vejo sede e fome de acolhimento e de carinhos singelos, mas que passam  batido, devido a um desejo quase incontrolável de se possuir um corpo quente, encontros lascivos, fortuitos...

Ai de mim que vivo neste mundo,
ai de mim que me entorpeço nesse cotidiano,
porque sei que no fundo é de afeto que grita a minh´alma clamando desejosa e faminta.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Pensamento de vários dias...

Aquilo que foi retirado de você, que é hoje motivo de choro, pode não ser a jóia que neste momento considera e sim um pedregulho que só servia para seu tropeço.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Surra de Chicote =D



Surra de Chicote
Hoje não calo, não fumo
Não digo em voz alta
Pego chicote de ouro
Com fios de nylon
Quero ver seu corpo pra fazer
Uma arte, um prazer
Corpo nu de você
Virgem ser, pra querer
Uma surra de chicote, de chicote
De chicote pra sofrer
Fecha os olhos
Sonha um carro, um sexo
Não me cortei com canivete
Mas vi sangue a escorrer
Virgem ser, pra querer